Sobre a Eletrofiação

A associação das técnicas de eletrofiação e bioimpressão tem se mostrado promissoras para o desenvolvimento de novos biomateriais e aplicações.

A técnica de eletrofiação, ou mais conhecida por electrospinning, produz matrizes fibrosas a partir de polímeros naturais e/ou sintéticos. Quando comparada a outros processos de formação de fibras, o electrospinning fornece um meio simples e econômico para produzir matrizes fibrosas com uma estrutura de poro interconectada e diâmetros de fibra na faixa submicrométrica.

Esta técnica tem recebido atenção no ramo da engenharia de tecidos e da medicina regenerativa, devido a sua aplicação como scaffolds que são suportes celulares que imitam a matriz extracelular de tecidos e possibilitam o cultivo celular tridimensional.

Dentre suas vantagens, estão:

  • Facilidade em produzir fibras ultrafinas, nas escalas nano e micro;
  • Versatilidade, se aplica a uma gama de polímeros, naturais e sintéticos, incorporação biomoléculas;
  • Flexibilidade, possibilidade de controle do diâmetro e porosidade, disposição aleatória ou alinhada.